O fim das livrarias?

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Por aqui livraria é o que não falta. Mas se engana quem pensa que são todas iguais. Cada uma agrega valor de uma forma diferente…

Tem a de bairro, onde a própria dona, com seu cachorrinho, recebe os clientes dando dicas e ajudando nas escolhas. Inclusive promove clubes de leitura e encontros no bairro.

Tem as que são literalmente espaços de trabalho (já vi entrevistas e reuniões com cliente). Tem as especializadas em livros usados, raridades e vintage.

Tem com restaurante e BAR (sim de pingas), transformando sua marca também em produtos próprios (canecas, enfeites de natal, bolsas, camisetas).

Tem também de gigantes, como a Amazon, que muda a forma de consumo de livro ao personalizar cada loja organizando os títulos por “ocasião de consumo”. Ou seja, usa o poder de dados da sua loja online e organiza na loja física: Quer dar presente para alguém? Ver quais são os mais vendidos da região? Apenas de fotos de bichinhos de estimação? Os 5 estrelas? Etc.

O que é comum a todas? O sucesso de cada uma vem justamente por trabalhar com NICHOS ou super nichos e foco em PESSOAS.

No video coloquei 4 exemplos: Amazon Books em NY, Old Town Books em Alexandria, Kramerbooks & Afterwords Cafe em Washington e por último Housing Works no Soho NY.

Compartilhar.

Sobre o autor

Deixe uma resposta