Casamento, potência e epidêmia

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Post originalmente publicado por Rafael Karelisky em seu blog de registros.

O que esperar da fotografia de casamento? Todos temos mil ideias já pré-formadas sobre o que e como é um casamento. Culturalmente já temos nossas diretrizes, as experiências anteriores também ajudam a formar uma ideia. Eu sei, a resposta parece obvia, afinal é um casamento oras… mas nem sempre é tão simples assim.

A tensão do dia reage diferente em cada pessoa, as vezes o casal se deixa tomar por uma potência tão forte que ela tem que ser suada, gritada, dançada, bebida, chorada, pulada e descontrolada! A festa de casamento é uma fonte de energia inesgotável.

Eu, Rafa, quando estou a caminho desse “dia” não tento antever nada. É só ir de peito aberto e mente atenta à aquela história que esta prestes a ser escrita. Por mais que na superfície seja parecido nenhum casamento é igual a outro quando visto mais de perto, mas bem de perto mesmo.

Maiana e Marcio são um exemplo de uma potência quase epidêmica. É impossível não vê-los sem sentir essa energia. E a melhor parte é que são tão seguros de si que não estão nem aí pra opinião de ninguém. Eles são como são, goste ou aprove você ou não. E eu isso uma das coisas mais lindas de se ver.

Eu acredito na fotografia documental e que seja ela temporal. Que mostre eles assim da forma que são hoje, sem rodeios, sem poses e da forma mais crua possível. Sem julgamento e sem filtro. Uma memória viva, límpida e verdadeira de quem fomos para nós mesmos e para as próximas gerações.

Compartilhar.

Sobre o autor

Deixe uma resposta